Subscribe:

Ads 468x60px

Pages

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Aquele da historia : Situação Delicada. Parte 1

Mais um dia entediante de trabalho,eu acordo,tomo meu café frio,e saio,chego a universidade as 10;00,e vejo meus três "ajudantes",eles estudam comigo enquanto eu ensino o oficio de jornalista a eles,em troca de conhecimento os uso como subordinados,ainda não os posso considerar amigos,um homem anti-social com 32 anos não tem mais confiança em pessoas,além de si próprio ou um ou dois amigos que só estão com ele por falta de opção,ou pena,ainda não consigo me definir em poucas palavras.
- Acorde James-disse Robert,meu único amigo.
Eu saltei do banco assustado,meu rosto estava dormente e eu estava encostado na porta do carro,provavelmente estava dormindo.
- Já chegamos? - Perguntei tentando disfarçar a exaustão
-Já,e perdemos dez minutos por culpa do seu sono pesado,pensei em jogar água...
-Faça isso e nunca mais dirija meu New Bettle.-Ameacei com meu olhar de sono.
-Você me buscou e estava dormindo no banco,achei melhor dirigir parra não ter que irmos para o hospital,salvei sua vida..
-Não,você evitou um acidente que poderia ter acontecido,e poderia ter nos dado uma boa desculpa por nos atrasarmos dez minutos ou mais,agora vamos,não quero ver os três porquinhos reclamando sobre por que eu me atrasei.
-Chama seus alunos de porcos? -Perguntou ele confuso.
-Se soubesse do que chamo você não ficaria tão surpreso como agora,vamos.
Entrando na pequena sala com noticias e jornais noto os dois alunos já prontos bebendo algo parecido com suco de laranja.
- Bom dia Kathy,Neil...-Falei sem entusiasmo e pegando as noticias para publicar.
-É Kate...-corrigiu Neil
-Tanto faz,onde está a criança numero três? - Perguntei sarcasticamente como de costume.
-Temos 22 anos...-Falou Kate indignada com o erro
-Não é importante,onde está Chase??-Olhei para os dois,nenhum parecia saber a resposta - Ok,começaremos sem ele.
Depois de analisar algumas pesquisas comecei a escrever no computador,enquanto isso chega Chase,ele arruma suas coisas e fica em seu computador quieto,olhei para ele e o fitei por alguns segundos,depois de algumas páginas feitas,publíco para o jornal de New Jersey,e saio para o almoço.
Enquanto converso com Robert,vejo um homem de cabelo cortado meio loiro com olhos negros em minha direção,ele estava de terno preto,chegou se apresentando:
-Burton,meu nome é Burton,acho que devia saber que eu ficarei aqui alguns dias...- Disse com um olhar penetrante.
Acho que devia saber que não me importo.- Disse sem paciência mastigando meu sanduiche de calabreza e olhei para Robert como se ele não estivesse lá.
Robert foi ao banheiro,e Burton me encarou por um tempo,então disse:
-Sabe,você é grosso,e trata as pessoas como se fossem idiotas...
-Claro...-Disse ainda mastigando meu sanduiche.
Ele colocou a mão no meu ombro e apertou com tal força que já não podia sentir mais dor.
-Apenas saiba que se me tratar como idiota,te tratarei como um também,eu não serei mais um cliente de seu jornal,serei aquele que o fará pagar,entendeu?- E soltou meu ombro devagar.
Eu o olhei assustado,e então acenei com a cabeça,ele olhou mais uma vez para mim com ar de autoridade,e então se virou,Robert chega do banheiro e olha pra mim com insegurança,ele me conhecia o bastante para saber quando eu estava inseguro.
Burton estava virado de costas olhando as mesas ao redor,foi o tempo de colocar boa parte do meu sanduíche no bolso de seu paletó e ele sair sem perceber.Robert olhou para mim:
-Quantos anos você tem James? Oito?
-Me esforço para parecer um garoto com dez-repliquei infeliz,e continuei meu almoço com meu único amigo.
Depois de um longo dia volto para casa,abro a porta na esperança de que alguém apareça mais apenas a um abajur acesso que provavelmente esqueci ligado quando saí,olhei ao meu redor,tirei a jaqueta sport e a a camisa com gravata,sentei no sofá e liguei a TV,após um longo dia com muitas pessoas,pensei em descansar um pouco,é difícil trabalhar para um dos jornais mais lidos da América,não consegui imaginar outra coisa se não ler minha publicação no jornal mais lido de New Jersey,pelo menos estava me enganando com essa mentira,escrever não me sastifazia mais do que comer um pedaço de pizza,me larguei no sofá frustrado e adormeci.
No dia seguinte,vi meus subordinados mais quietos,eles estavam me escondendo algo,algo que não era natural,em minha sala enquanto colocava na lousa algumas noticias e explicava a eles as posições de cada um ao escrever em uma coluna,Robert me chama sério e fala:
- Celiny,ela esta te procurando,e quer ver você agora,esta nervosa.
-Ótimo,tudo que eu queria,ouvir minha adorável chefe gritando..
-Por que faz isso com ela? Sabe que os problemas que faz são causados nela...-Disse impaciente.
Eu o ignorei e saí,fui até a sala transparente que era seu escritório,ela olhou e fez sinal para eu entrar,havia um homem de costas,não consegui enxergar,seu cabelo repicado e loiro branco,ainda não o havia identificado.
-James,sente - Ela disse pacientemente enquanto eu me sentava.
- O que é agora? -Perguntei em tom desafiador.
-Não irei mais discutir com você,apenas se desculpe com mais um de nossos clientes por favor,não vou mais impor autoridade,como sua colega de trabalho não vou mais implorar...
-Ok,ótimo,onde está a vitima? - Perguntei com meu tom impaciente e ironico.
-Alí está - E apontou para o homem de terno que se virou. - Converse com ele,espero que se desculpe,você pode ser um dos melhores jornalistas que já existiu,mais não quero que acabe com a fama de nosso jornal tratando pessoas como tal,espero que se entendam.- E saiu .
- Eu disse para não brincar comigo,esqueci de me apresentar por completo, eu sou o detetive Burton.
- O que quer? Desculpas? não estou afim... - Disse tentando parecer calmo.
-Não,fique com elas,eu quero te arrebentar,quero te humilhar,em frente a todos,como fez comigo...
Continuei o olhando sério e inseguro enquanto ele falava.
- Farei de tudo para tornar sua vida um inferno começar por tirar seu direito de escrever,afastar todos que estão perto de você e quem sabe te prender por desacato..
- É isso que quer? Vingança? - Perguntei em seco
-Não,quero tornar a vida do grande e famoso jornalista,em um pequeno inferno..
Então ele saiu da sala,eu tentei parecer controlado,e saí também,não sabia bem como seria partir desse momento,mais sabia que não seria fácil continuar agindo como se o homem que eu mais temi,não quisesse acabar com minha carreira.

5 comentários:

L.Kaori disse...

Um dia vc me mata felipe... Sério... O post ficou perfeito, e vc sabe... Não preciso ter um ataque cardiaco por isso né?!!
Te amo

Whatsername disse...

Muito boa sua história Lipe. Ansiosa para ler a segunda parte haha Não demore muito para postar!
bjoos

alessandra disse...

Sério Felipe que lindo ficou quero a segunda parte o/
me arrependi agora de não ter lido sua historia antes, tá muito boa
um dia ainda quero me gabar quando vc virar um jornalista e falar pro meus filhos que conheci esse jornalista-q
eu não estou muito acostumada a ler historias desse gênero por isso não tenho muiiito a falar mas tá lindo juro!
bjos~*

Anônimo disse...

O melhor cronista que eu já vi no mundo...é a pessoa que mais tem talento que conheço mas a que menos mostra que o tem...

sinto muito orgulho de você...

Se um dia você for para um jornal...
e você vai...eu assinarei e guardarei tudo que tenha o seu nome...

ORGULHO...

este deveria ser segundo nome...


muito obrigado por mostrar oque sente pelas suas histórias.

Lilah Poynter disse...

Nossa, eu retorno ao mundo dos blogueiros e encontro o senhor Felipe com uma blog incrivelmente envolvente! Como assim Teenager Key virou esse arraso? Adorei!

Falando sério agora: sua ideia de entitular os posts com "aquele, aquela..." à lá Friends é genial *-* já pensei em escrever uma fanfic assim, mas não sou tão boa pra isso. Estou com os olhos brilhando aqui depois de ter dado uma melhor visualizada no teu blog, e está lindo *-*

Parabéns o/